terça-feira, 11 de dezembro de 2007

não me entrego sem lutar


“não me entrego sem lutar” renato Russo

Não pensem que vão levar minha alma assim. Vou brigar por ela. Por cada ectoplasma que me pertence.
Não vai ser fácil me fazer essa lavagem cerebral, sugar meus sentimentos... vou espernear , chorar, bater pé, fazer beicinho. Tudo que puder eu vou fazer.
Não será fácil me tirar do ringue. Vou apelar pra golpes pesados, não me preocupar com a ética. Me vencer você não vai. Não quero saber de regras. Pra mim, a sobrevivência fala mais alto. Vou agir pela mais incrível legitima defesa... manter-me vivo. O coração vai acelerar em abundância o corpo vai trabalhar como nunca; Ele vai saber que é o confronto final... E que não podemos perder. E que estamos disputando para continuar dando suspiros, sorrisos e vendo novos horizontes.
Não pense que vai me encontrar abatido.
Estarei pronto para a mais ensandecida disputa.
Com todas as armas que possuo: garra, três figurinhas e vontade de ser pai.
Você não vai me levar agora. Não vai! Prepare-se para fúria de um Homem que quer estar vivo. Vou bradar e liberar a voz do fundo de minhas entranhas!
E tratee de vir logo. Pois a ameaça do fim me deixou bastante excitado e disposto.Como há muito, eu não ficava. Ei, psiu! Cadê você?

Um comentário:

ive disse...

Muito bom e muito profundo...gostei mesmo, não por afinidades, mes por pura razão!
Ivé