quarta-feira, 9 de abril de 2008

Desabafos de abril

“Os homens são humanos. Demasiadamente humanos” Nietsche



Analistas de merda

Ficam tentando me engaiolar nos seus padrões freudianos e junguianos. Será que não percebem que sou normal demais para vocês? Que aberrações clichês só existem na televisão depois de uma nova roupagem do marketing?
Estou fora do padrão de vocês. Falo demais, bebo mais do que drinks de frutas, xingo alto, choro, explodo de tristeza e dou gargalhadas de alegria. Isso tudo em questão de minutos.
Fico calado e engulo verdades e depois saio atirando pra tudo que é canto. Sou babaca, imaturo, orgulhoso playboy de faculdade rica que se junta com pobres, desvalidos, sujos e mal cheirosos. Eu Jogo futebol, assisto golf e cricket , amo sanduíche de brie com damasco mas se não tiver me entupo de angu com feijão. E ainda repito estalando os lábios. Vai tentar me enquadrar? Então bota aí: revoltado. Mas não esquece de dizer que respeito os 10 mandamentos, não saio xingando a torto e a direito e sou polido. V ai encarar? Vai enquadrar? Me esquece!

4 comentários:

Mare disse...

Somos únicos, nunca seremos enquadrados. Os quadros mudam e há aqueles que mudam junto a eles.
Por isso gosto de você, por ser você, único.

Paty Augusto disse...

Um desabafo mais do que necessário. Não há gaiolas suficientemente grandes para nós, porque somos originais e ousamos nos mostrar sem máscaras através de nossas palavras...
LYTMAF... don´t forger that!

Deise disse...

E é por isso tudo que você é admirado! Pra que ligar pra analistas que dizem o que querem, sempre tentando se enquadrar em velhos ditados de antigooos cientistas?
Continue assim, único! Pois é assim que todo ser humano dever ser!

Eu sumi mesmo, muita correria, a faculdade está a mil! São tantos trabalhos pra fazer que se eu tentar escrever, vai sair uma petição inicial cheia de brocardos jurídicos.

Desculpe-me por não poder ver seus textos sempre. No entanto, quem perdeu fui eu... mas vou relendo todos sempre que tiver um tempo!

Grande beijo, querido!

Hudson Pereira disse...

Melhor sensação é ser livre pra ser vários e ainda assim um único.
Limitar-se,jamais...